Carregando...
Você está em:  Home  >  Islamismo  >  Artigo

Maomé, Judeus e Cristãos

Por   /  5 de junho de 2018  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

No ano de 622, Maomé começou a flertar com algumas tribos judaicas da cidade de Medina, ele estava convencido de que era o mensageiro incumbido por Deus de proclamar a mesma mensagem que os profetas judeus haviam propagado antes dele, porém suas doutrinas como o jejum, a recitação das orações e algumas outras regras preliminares afastaram os judeus, e sua mensagem não só foi rejeitada como se tornou alvo de zombarias. A intriga de Maomé com os Judeus não é uma situação difícil de se entender, Maomé que inicialmente teve sua mensagem monoteísta rejeitada pelos coraixitas, o que o aproximou de certa forma, ao cristianismo e ao judaísmo, que tinham uma mensagem compatível ao ser observada de forma superficial, mesmo assim Maomé não obteve êxito na pregação aos judeus e cristãos e com o desenvolvimento da doutrina de Maomé as diferenças começaram a ficar mais patentes:

“O desenvolvimento da doutrina do Profeta talvez se relacionasse com mudanças em suas relações com os judeus de Medina. Embora eles fizessem parte da aliança original, sua posição tornou-se mais difícil à medida que as pretensões de Maomé a sua missão se expandiam. Não podiam aceita-lo como um verdadeiro mensageiro de Deus dentro de sua própria tradição, e diz-se que ele, por sua vez, os acusou de perverter a revelação que lhes foi dada: “Ocultásseis o que vos foi ordenado tornar claro”. Por fim, alguns dos clãs judeus foram expulsos e outros assassinados.” (HOURANI, 2006, p.38).

Com isso, seus principais alvos tornaram-se tribos judias e cristãs da região que rejeitavam Maomé como profeta, quanto mais o povo rejeitava a mensagem de Maomé, mais aumentava seu ódio e sua violência, esta violência não era de caráter militar através de guerras contra exércitos armados, mas tratava-se de um ataque cruel e covarde contra comerciantes judeus.

“Maomé, o profeta do Islã, exterminou todos os judeus da Arábia Saudita. Haviam três tribos: Banu Nadir, Banu Qurayza, Banu Qaynuqa. Nós orgulhosamente estudávamos isso na escola, como Maomé, o profeta do Islã, ordenou a decapitação dos judeus de Banu Qurayza e as mulheres foram tomadas como concubinas. Assim que uma criança tinha pelos pubianos, era decapitada. Então, a população era extraditada ou decapitada. A história de Rabi Kinana, é uma história muito bem documentada no Islã, Rabi Kinana foi torturado por ordem do próprio profeta do Islã, seus olhos, foram arrancados, ele foi queimado, para confessar onde as tribos judaicas escondiam seus bens, seu ouro, sua prata, essas coisas, isso vem direto do Hadith, isso inspirou a nós, palestinos, nos inspirou a lutar a Jihad contra os judeus na Palestina.” (ISLAM, 2017).

HOURANI, Albert, SANTARRITA, Marcos (trad.). Uma História dos Povos Árabes. 1ª Ed. 4ª reimpressão. São Paulo. Companhia de Bolso, 2006, 703p.

ISLAM – O Que o Ocidente Precisa Saber. Recuperado de: www.youtube.com/watch?v=E5Q5j4ZQ9Go, acessado em 10/12/2017.

Por Rafael Félix.

    Imprimir       Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *