Carregando...
Você está em:  Home  >  Islamismo  >  Artigo

O islã é uma seita cristã?

Por   /  17 de agosto de 2018  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Recentemente ouvi alguém dizer que o islã é uma seita cristã, o que me alertou para a tamanha ignorância por parte das pessoas ao falarem sobre o islã, e mais uma vez fui impulsionado à escrever sobre o islã e mostrar através de fatos a verdade sobre esta religião.

Em primeiro lugar gostaria de citar o que Albert Hourani fala sobre a origem do islã e sua relação com as duas principais religiões monoteístas do mundo:

Antes do  fim do século VII, esse grupo governante árabe (os muçulmanos) identificava sua nova ordem como uma  revelação dada por Deus a Maomé, um cidadão de Meca, sob a forma de um livro santo, o Corão: uma revelação que completava aquelas que haviam sido anteriormente feitas a profetas ou mensageiros de Deus e criava uma nova religião, O Islã, distinta do judaísmo e do cristianismo. (2006, p.34 grifo nosso).

Albert Hourani foi professor de História do Oriente Médio na Universidade de Oxford por 20 anos e foi o maior formador de historiadores acadêmicos da História do Oriente Médio Moderno de sua geração.

Quem já entrou em contato com a teologia islâmica entende isso perfeitamente, pois não existe sequer um ponto da teologia islâmica que concorde com a teologia cristã em sua totalidade. Um resumo simples do que diz a doutora em estudos islâmicos nos mostra isso:

Deus: Em alguns pontos da Teologia islâmica e cristã parecem concordar, mas é uma mera ilusão ao pensar que o Deus que é apresentado no cristianismo é igual ao Alá apresentado no islã. Um dos principais pontos de divergência é a respeito do relacionamento de Deus com a humanidade. Enquanto o Deus no cristianismo busca um relacionamento com a humanidade enviando Cristo para fazer esta ponte, Alá não tem qualquer interesse de se relacionar com a humanidade nem a ama.

Jesus: Não é nada além de um profeta do Islã e que profetizou acerca de Maomé, não é o Filho de Deus nem tem papel na salvação da humanidade. Já para o cristianismo Jesus é o messias prometido desde que o primeiro casal pecou no jardim do Éden (Gn 3.15). Além do mais no islã Jesus não foi morto crucificado, consequentemente, não morreu nem ressuscitou como afirma o cristianismo. Para o Islã o homem não carece de um mediador.

Homem: De acordo com o Alcorão (Surata 40.57) o homem não é a principal criatura de Deus, nem tem a imagem de Deus e que os céus e a terra são como uma “maravilha maior”. Enquanto no cristianismo o homem foi feito a imagem e semelhança de Deus. (Gn 1.26).

Pecado: Não existe pecado original, o pecado de Adão não afetou toda a humanidade para o islã, se o homem pecar, não peca contra Alá e sim contra si mesmo (Surata 7.19-25). Já para o cristianismo quando Adão, o representante da humanidade no Éden pecou, toda a humanidade foi contaminada pelo pecado (Rm 5.12), consequentemente foi afastada de Deus.

Espírito Santo: O papel do Espírito Santo em relação à revelação da Palavra de Deus para o cristianismo é de fundamental importância, já para o islã o Alcorão, que é a Palavra de Deus para o muçulmano, foi revelado à Maomé por intermédio do anjo Gabriel (Surata 25.192-194).

HOURANI, Albert. Uma História dos Povos Árabes. São Paulo, Companhia das Letras, 2006, 701p.

SCHIRRMACHER, Christine. Entenda o Islã: História, Crenças, Política, Charia e Visão Sobre o Cristianismo. São Paulo, Vida Nova, 2017, 464p.

Por Rafael Félix

    Imprimir       Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *