Carregando...
Você está em:  Home  >  Comentário Bíblico  >  Artigo

A ressurreição de Cristo ao terceiro dia

Por   /  12 de abril de 2021  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

As Escrituras do Antigo Testamento falam da ressurreição de Cristo ao terceiro dia?

“E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1 Co 15.4).

A primeira indicação do plano salvífico de Deus para a raça humana, por meio da cruz, está registrada em Gênesis 3.15: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente: esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”. Na definição dos personagens, notamos que “a mulher, obviamente, é Eva, e a semente da mulher é, literalmente, sua descendência (Gn 4.1,25), culminando em Cristo, vitorioso sobre Satanás (Cf. Rm 16.20)”.1 O apogeu desse plano se inicia com a vinda de Cristo (G14.4), seu ministério (Mt 4.23-25), sua morte (Jo 20.33) e ressurreição (Lc 24.6).

Na escolha divina de uma nação (Israel) para representar a vontade e os propósitos de Deus ao mundo, nas promessas de posteridade e bênçãos futuras aos patriarcas (Abraão, Isaque, Jacó e José) na lei mosaica, nos sacrifícios levíticos, nos salmos, nos profetas messiânicos, na proposta de nova aliança (Jr 31.31-33), enfim, em tudo isso verificamos que o cerne implícito do Antigo Testamento é, sem dúvida, nosso Senhor Jesus. Todas as profecias veterotestamentárias referidas ao Messias se cumpriram em Cristo, pois Ele era o enviado de Deus (Jo 3.16). Jesus não precisou forjar nenhum acontecimento para essa comprovação. Tudo aconteceu de maneira natural. O próprio Jesus invocou as Escrituras para endossar a extensão e a veracidade de seu ministério: “E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando anda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos. Então, abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras” (Lc 24.44,45).

Com respeito ao objetivo de sua missão terrena, a fim de resgatar a humanidade por meio de sua morte (Mt 20.28), por várias vezes, Ele falou com os discípulos sobre essa necessidade (Mt 20.17-19; Mc 10.32- 34; Lc 18.31-34). Aos dois discípulos que iam para Emaús relembrou isso: “E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos” (Lc 24.46). Tudo isso parece estar bem consolidado no Antigo Testamento, exceto a ressurreição ao terceiro dia. Qual é o texto das Escrituras hebraicas que falam da ressurreição especificamente no terceiro dia?

Para a tristeza geral dos opositores do evangelho, o fato é que Cristo ressuscitou (Lc 24.6) e, não havendo provas suficientes para negar esse fato, direcionam seus ataques contra a veracidade escriturística quanto aos dias da ressurreição. A maioria dos teólogos concorda que a profecia descrita em Oséias 6.2 “tem dupla aplicação: a restauração de Israel e a ressurreição de Cristo”.2

Russel Champlin nos informa que, em 1 Coríntios 15.4, provavelmente, estão em foco tanto o elemento do termo (Os 6.3) como as passagens proféticas gerais do Antigo Testamento que falam sobre a ressurreição do Messias. E acrescenta: “O trecho de Oséias 6.2 era reputado, por alguns rabinos, uma alusão à ressurreição, ainda que não diretamente vinculada ao Messias”, fato que ocorreu com propriedade somente na leitura cristã das Escrituras hebraicas. Nessa mesma explanação, o pesquisador encontra ocasião para afirmar a importância simbólica do “terceiro dia” na história do judaísmo:

O terceiro dia no Antigo Testamento
Narrativas bíblicas Referências bíblicas
“Ao terceiro dia levantou Abraão os seus olhos, e viu o lugar de longe” Gênesis 22.4
“E ao terceiro dia disse-lhes José: Fazei isso, e vivereis; porque eu temo a Deus” Gênesis 42.18
“E aconteceu que, ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões e relâmpagos sobre o monte…” Êxodo 19.16
“Porque, partindo os filhos de Israel, chegaram às cidades deles ao terceiro dia…” Josué 9.17
“Preparou, pois, o Senhor um grande peixe, para que tragasse a lonas; e esteve lonas três dias e três noites nas entranhas do peixe” Jonas 1.17
“E ajuntei-os perto do rio que vai a Aava, e ficamos ali acampados três dias. Então atentei para o povo e para os sacerdotes, e não achei ali nenhum dos filhos de Levi” Esdras 8.15
“Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele”(Os 6.2)

Todos esses são acontecimentos importantes, segundo a tradição judaica”.3

  1. Bíblia Apologética de Estudo, comentário de Gênesis 3.15. São Paulo: IGF; p. 9.
  2. SILVA, Esequias Soares da. Lições Bíblicas. Comentário de Oséias 6.1-6.2’Trimestre de 2002, CPAD.
  3. Russel Norman Champlin, comentário de 1Corintios 15.4. São Paulo: Candeia, p. 237.

—————–

GILSON BARBOSA, FONTE: REVISTA “DEFESA DA FÉ” ANO 12 – N°87

    Imprimir       Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *