Carregando...
Você está em:  Home  >  Comentário Bíblico  >  Artigo

A Ressurreição dos Mortos de Mateus 27.52

Por   /  4 de junho de 2021  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Jesus ressuscitou primeiro e, em seguida, houve a ressurreição das pessoas mencionadas. Foi essa a ordem dos acontecimentos!

“E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados” (Mt 27.52).

Se não houver atenção na interpretação do texto bíblico mencionado, pode haver confusão quanto ao momento em que se deu essa ressurreição, pois, aparentemente, os mortos citados ressuscitaram antes do próprio Jesus. Entretanto, em I Coríntios 15.20 lemos que Cristo foi feito as primícias dos que dormem (os mortos salvos), o que está em acordo com a sequência de ressurreições apontada por Paulo: “Mas cada um por sua ordem: Cristo, as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda” (I Co 15.23).

Por ocasião da morte de Jesus, o véu do santuário se rasgou em duas partes, a terra tremeu e as rochas se fenderam. Vejamos o que a Bíblia afirma a respeito: “… Abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados” (v. 52). Esse versículo aparentemente indica que Cristo ressuscitou logo após a ocorrência desses fatos. Mas observando o texto seguinte, chegamos à outra conclusão: “… Saindo do sepulcro depois da ressurreição de Jesus, entraram na cidade santa e apareceram a muitos” (v. 53; grifo nosso). Esta declaração joga mais luz sobre o texto e nos esclarece que Jesus ressuscitou primeiro e, em seguida, houve a ressurreição das pessoas mencionadas. Essa foi a ordem dos acontecimentos. Unanimemente, os estudiosos entendem que essas pessoas morreram novamente, o que indica que ressuscitaram em corpos naturais.

Sobretudo, este episódio prenuncia profeticamente que, assim como Cristo morreu, mas ressuscitou, da mesma forma nós, os que estivermos vivos na sua vinda, e os mortos salvos, teremos o nosso corpo mortal transformado (I Co 15.13-23; I Ts 4.13-17).

Outra dúvida que paira nas mentes é: “Quem seriam essas pessoas?”. Russel Norman Champlin afirma que “muitas conjecturas têm sido feitas acer­ca da identificação dos mem­bros desse grupo, tais como os patriarcas, Abraão, Isaque, Jacó, e outros de tempos mais recentes, como João Batis­ta, Simeão, Ana, Zacarias, etc.; mas acerca disso não temos qualquer informação.

FONTE: REVISTA “DEFESA DA FÉ” ANO 9 – N° 72

    Imprimir       Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *