Carregando...
Você está em:  Home  >  Adventismo  >  Artigo

Judas ensina que Moisés ressuscitou?

Por   /  5 de abril de 2019  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda. Judas 1.9

Adan Clark, comentarista citado com muita frequência pelos adventistas do sétimo dia, dá a seguinte opinião acerca da disputa entre Miguel e Satanás pelo corpo de Moisés: ‘A alegação mencionada por Judas não é sobre o sacrifício de Isaac, nem a alma de Moisés, mas sobre o corpo de Moisés; mas por que ou para que não sabemos. Alguns pensam que o diabo queria mostrar aos israelitas onde Moisés foi enterrado, sabendo que eles iriam adorar o seu corpo; Miguel foi enviado para impedir essa descoberta’ (Comentário Bíblico de Adam Clark – Jd 9).

Antes de continuarmos a nossa exposição, vale deixar registrado que o Antigo Testamento não faz nenhuma alusão direta ou indireta a essa disputa e contenda entre o arcanjo Miguel e o diabo. A única coisa que o AT registra e a morte de Moisés e o seu sepultamento pelo próprio Deus (Dt 34.5,6; Js 1.1,2).

Na verdade, a Bíblia em momento algum afirma que esse fato ocorreu por causa da suposta ressurreição do corpo de Moisés. A ideia de uma suposta ressurreição de Moisés, de forma indireta, vista pelo nosso objetor, na passagem de Judas 9, é baseada numa conjectura de EG White e de alguns dos seus seguidores Adventistas do Sétimo Dia, mas não tem amparo nas Escrituras Sagradas.

Moisés passou pela morte, mas Cristo desceu e lhe deu vida antes que seu corpo visse a corrupção… e levou-o ao céu…” (Primeiros Escritos, EG White, Editora Casa, Pg 164).

Acerca deste assunto, o Prof. Carlos Augusto Vailatti chama a atenção para um grave erro cometido por alguns, ao tentar interpretar Judas 9, dizendo: O versículo, no original grego, está apenas dizendo que o arcanjo Miguel, no passado, discutiu e debateu continuamente com o diabo sobre onde estaria enterrado o corpo de Moisés (cf. Dt 34.5,6). Portanto, Judas 1.9 não traz nenhum tipo de “evidência indireta da ressurreição de Moisés logo apos sua morte”. Se há alguma evidência da ressurreição de Moisés, tal evidência deve estar em outro lugar, mas não em Judas. Além disso, se Moisés houvesse ressuscitado logo após a sua morte, por que nenhum dos autores bíblicos mencionou este fato espetacular? A conclusão óbvia e que os autores bíblicos não o fizeram porque a ressurreição de Moisés simplesmente não ocorreu.

O fato e que Moisés permanecia morto quando do embate travado entre Miguel e o diabo em algum momento no passado após a sua morte. Desse modo, o argumento de que o termo ‘soma’ (palavra ‘corpo’ no grego) pressupõe que o corpo de Moisés ainda não havia entrado em decomposição por ocasião da disputa entre Miguel e Satanás não é um argumento necessariamente lógico. O termo soma simplesmente significa que Miguel e Satanás disputavam onde estaria o cadáver de Moisés após a sua morte (pois, como já foi observado, soma pode significar tanto um “corpo vivo” quanto um “corpo morto”). Se soma também pode fazer referência a um “corpo morto”, então o erro elementar no argumento é pressupor que o termo soma, usado com relação ao corpo de Moisés, pressuponha a sua ressurreição, ou a existência de um “corpo glorificado”. Some-se a isso ainda o fato de que a suposta “não decomposição” do corpo de Moisés (decomposição esta que certamente ocorreu) de forma alguma tem como pressuposição lógica a sua ressurreição.

(Extraído do livro “Perguntas Difíceis de Responder Sobre a Imortalidade da Alma” Vol 4; Bet Shalom, Elias Soares)

    Imprimir       Email
  • Publicado: 2 semanas atrás em 5 de abril de 2019
  • Por:
  • Última modificação: abril 5, 2019 @ 9:20 am
  • Arquivado em: Adventismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *