Carregando...
Você está em:  Home  >  Adventismo  >  Artigo

A IASD e as muitas datas marcadas para a volta de Jesus

Por   /  11 de setembro de 2018  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

  • Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai” (Mt 24.36).
  • “A vós não vos compete saber os tempos ou as épocas, que o Pai reservou à sua própria autoridade” (At 1.7)

Os Adventistas do Sétimo Dia se vangloriam constantemente de que eles nunca marcaram tempo; de que eles não acreditam nisso. Mas enganam a si mesmos e enganam os outros quando dizem algo assim. O Ancião White, seu líder, engajou-se na pregação de três diferentes tempos que o Senhor haveria de vir, a saber, 1843, 1844 e 1845. Aqui estão suas próprias declarações sobre isto:

“Encontrei-me feliz na fé de que Cristo viria por volta do ano de 1843.” (Life Incidents, pág. 72). Depois ele fala como pregava sobre isto. De 1844, ele diz: “Firmei minha convicção de que Cristo viria no décimo dia do sétimo mês Judaico daquele ano [1844].” (Pág. 166, 167). “É bem sabido que muitos estavam esperando que o Senhor viesse no sétimo mês de 1845. Acreditávamos firmemente que Cristo então viria. Poucos dias antes do tempo passar, eu estava em Fairhaven e Dartmouth, Mas, com uma mensagem sobre este ponto do tempo.” (A Word to the Little Flock, de James White, pág. 22). Assim, seu líder era um marcador de tempo.

A Sra. White, sua profetisa, estava na marcação de tempo de 1843 e 1844. Ela mesma diz: “Estávamos firmes na crença de que a pregação dos tempos definidos era de Deus.” (Testimonies, Vol. 1, pág. 56). Da primeira data, ela diz: “Com cautela e tremor nos aproximamos do momento em que se esperava a aparição do nosso Salvador.” Depois ela relata seu desapontamento (Testimonies, Vol. 1, pág. 48). Novamente: “Nossas esperanças agora estavam centradas na vinda do Senhor em 1844.” (Pág. 53). Ela era uma marcadora de tempo.

Os Anciãos Bates, Andrews Rhodes e todo o primeiro escalão dos Adventistas do Sétimo Dia estavam na marcação de tempo de 1843, 1844. Eles ainda defendem a marcação de tempo de Miller de 1843 e 1844 como sendo correta e aprovada por Deus. Quanto de verdade, então, existe nas afirmações de que eles nunca marcaram tempo? Mas eles dizem: “Nós não guardávamos o sétimo dia quando nós marcamos tempo; portanto, nós nunca marcamos tempo!” Isso é demais! O ladrão diz: “Eu não estava vestindo este casaco quando roubei a ovelha, portanto eu nunca a roubei!” Eles dizem que deram as três mensagens. Bem, a primeira mensagem foi em 1844, quando eles marcaram o tempo. São eles o mesmo povo, ou não são?

Novamente, eles confirmam a obra do Sr. Miller como sendo de Deus. Mas Miller é responsável por todas as marcações de tempo feitas pelos Adventistas desde a sua época, porque eles são os legítimos rebentos da sua obra. Ele começou marcando tempo. Ele fez isso uma segunda vez. Ele os ensinou como fazê-lo. Ele teve a ideia. Ele a inculcou em todos os seus seguidores. Eles, então, simplesmente a tomaram e deram continuidade àquilo que Miller começou.

Os Adventistas do Sétimo Dia declaram ser os Adventistas originais e aprovam a obra de Miller. Ao fazer isto eles aprovam a marcação do tempo e devem carregar com justiça toda a reprovação geral daquele empreendimento fanático.

Mas os Adventistas do Sétimo Dia não se levantam para explicar por que ficaram desapontados em 1843, e novamente em 1844, e por quarenta anos desde então? Oh, sim; mas nós naturalmente ficamos desconfiados do homem que constantemente é obrigado a ficar explicando sua conduta. Trabalhos corretos não precisam de explicação.

Eles dizem que o Senhor causou seu desapontamento em 1843 com o propósito de testar sua fé, isso é tudo! Em 1844, eles cometeram apenas um pequeno erro, isso é tudo! Na época eles ensinaram que a terra era o santuário. Vieram a descobrir que o santuário estava acima, no céu, e que Jesus realmente veio, em certo sentido, neste mesmo ano! Assim sendo, de qualquer forma eles estavam certos, isso é tudo! Você não consegue ver? Está claro como o dia. Agora eles removeram toda a questão dos fatos problemáticos da terra, onde temos condição de examiná-los, para as inefáveis teorias do céu, onde ninguém pode ir para relatar fatos que poderiam arruinar suas teorias. Agora eles podem especular e argumentar em segurança. Mas os homens sóbrios e que raciocinam conseguem ver através de tudo isso. Trata-se apenas de um esquema montado para sair de uma dificuldade.

Livro: Adventismo do  Sétimo  Dia Renunciado, REV.  D.  M.  CANRIGHT

    Imprimir       Email
  • Publicado: 2 meses atrás em 11 de setembro de 2018
  • Por:
  • Última modificação: setembro 11, 2018 @ 7:22 am
  • Arquivado em: Adventismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *