Carregando...
Você está em:  Home  >  Vida Cristã  >  Artigo

Crescimento espiritual

Por   /  14 de julho de 2020  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Toda semente lançada sob a terra morre e de­pois ressurge vigorosa, dando flores e frutos. É um proces­so da lei biológica. O homem nascido de novo pela operação milagrosa da Palavra de Deus e do Espírito Santo precisa cres-1 cer e dar frutos. Caso não se desenvolva, ele jamais alcançará o seu objetivo. O cris­tão que não cresce espiritualmente tende a ficar atrofiado. Nesse estágio, fica à mercê de vários perigos como os ventos de doutrinas, falsos profetas, fanatismos etc. Jesus, o Verbo Encarnado, cresceu em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens (Lc 2.52).

Os cristãos de Corinto eram carnais. Paulo os considera crianças em Cristo, ou seja, neófitos. Receberam o batismo, mas não cresceram no Espírito. “Porque ainda sois carnais, pois, havendo entre vós in­veja, contendas e dissensões, não sois, porventura carnais e não andais segundo os homens?”, ICo 3.3. No mesmo capítu­lo, versículo 2, diz: “Com leite vos criei e não com manjar, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis”. O apóstolo está usando a figura do leite, num sentido metafórico para ministrar a Pala­vra com amenidade.

No sentido físico, o leite é um dos prin­cipais alimentos para o nosso desenvolvi­mento, principalmente para as crianças que necessitam de cálcio, fósforo e vitaminas – fatores decisivos no fortalecimento dos ossos.

O apóstolo Pedro também nos traz a figura do leite genuíno, sem mistura, representando a pessoa de Jesus Cristo e sua Palavra. “Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsi­ficado, para que, por ele, vades crescendo”, l Pd 2.2. A expressão “como meninos novamente nascidos” leva-nos a entender que, espiritualmente, devemos nos comportar como uma criança recém-nascida, que precisa de alimen­to genuíno, não falsificado, para que possamos crescer em direção à salvação e à pregação das Boas-Novas.

Pão da vida

A leitura da Bíblia é fundamental para o progresso espiritual do novo convertido. Deixar de crescer, ficar atrofiado e raquítico significa se tornar um crente “doente”.

Em 1 Coríntios 11.30 está escrito: “Por causa disso, há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dor­mem”. Há crentes que participam de todos os rituais eclesiásticos, mas não se alimentam da Palavra nem da oração, resultando em cristãos que não possuem a força que vem do poder de Deus (Ef 6.10).

O alimento puro e saudável que conduz o novo cren­te ao crescimento é a Palavra de Deus. Beber desse leite com avidez, leva-o a ter saúde espiritual. O cristão bem alimentado tem vida em abundância, tem vigor e, por consequência, leva o pecador a também entregar-se a Cristo e receber este ânimo que vem do Alto.

Paulo escrevendo a Timóteo, seu filho na fé, admo-esta-o a permanecer naquilo que aprendeu – a Palavra – e mais. sabendo de quem aprendeu. O apóstolo acres­centa “que desde a tua meninice, sabes as sagradas le­tras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus”, 2Tm 3.15. No texto, a pala­vra meninice não se refere a uma pessoa recém-nasci­da espiritualmente, mas sim ao sentido cronológi­co da vida de um ser humano (infância).

O desenvolvimento da Palavra de Deus na Igreja neotestamentária é um fato evidente,  que fez crescer o número dos conversos. Atos 6.7 registra que a palavra crescia e “em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé”. Mesmo em meio às tribulações, prisões e perseguições, a Palavra crescia através dos frutos da salvação (At 12.24). Paulo ministrava a sã doutrina por onde passava, levando vida e crescimento espiritual às igrejas recém-formadas. “De sorte que as igrejas eram confirmadas na fé e cada dia cresciam em número”, garante a Palavra em Atos 16.5.

Estar sendo conduzido dia-a-dia para dentro do gozo da salvação é a causa de se desejar ardentemente pro­var do Senhor e beber da fonte eterna de inspiração, que é a Bíblia Sagrada.

Como diz o Salmo 34.8: “Provai e vede que o Se­nhor é bom”. O coração nutrido pela Palavra produz o fruto do Espírito, expresso em Gálatas 5.22: “Mas o fruto do Espírito é caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança”. Eis o retrato fiel do cristão bem alimentado, saudável, que através do fruto do Espírito Santo espalha por onde pas­sa a luz do seu amor e as belas virtudes que emanam da fonte de águas vivas.

———-

Fonte: Silvio Amaral (Revista Pentecostes – Julho/2000).

    Imprimir       Email
  • Publicado: 4 semanas atrás em 14 de julho de 2020
  • Por:
  • Última modificação: julho 14, 2020 @ 3:34 am
  • Arquivado em: Vida Cristã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *