Carregando...
Você está em:  Home  >  Vida Cristã  >  Artigo

O culto doméstico

Por   /  13 de abril de 2021  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

Prezado leitor, toma a tua Bíblia e leia em II Tim. 1.3-5 e 3.10-17.

Nesta oportunidade quero falar sobre o LAR. Ao ensejo deste importante assunto, que nos leva a pensar no lar, a bênção grandiosa que Deus nos concedeu.

Olhamos para a sociedade e vemo-la corrompida e desfeita. E logo o nosso pensamento se vai para a causa desse estado de ruína e perdição. São as guerras cons­tantes que têm sacudido os homens neste século; guerras cruéis e desumanas as responsáveis por essa decadência moral do século vinte. Outros arriscam afirmar que o responsável pela calamidade de nossos dias é o fato de o homem ter abandonado a religião. Outros culpam o dinheiro, que gerou o presente estado de materialismo. Outros apontam o rádio, a TV, o cinema como forças diluidoras da sociedade hodierna. Não resta a menor dú­vida que esses fatores apontados e talvez outros, tenham contribuído para a crise fatal DE nossos dias, mas a causa real, a causa verdadeira, vamos encontrá-la nos LARES DESFEITOS, que atualmente os há em número assusta­dor. No Brasil há nada menos de 250 mil casais desquitados. São, portanto, 500 mil vidas arruinadas, fora os filhos que talvez somem mais de 500 mil. E quando cada um dos cônjuges desquitados venha a contrair novas núpcias, ilegal já se vê, são mais 500 mil vidas prejudi­cadas, não contando os filhos que virão desses novos arranjos matrimoniais. E os complexos e recalques que o esfacelamento do lar gera no coração dos filhos é uma força que não podemos avaliar, a não ser encarando a dura realidade do problema play-Boy. Juventude transviada e outros nomes dados para tentar explicar a presente crise de caráter com que nos defrontamos. A causa, a única causa, a causa real, encontra-se no lar. Sempre no lar.

Ainda que os lares dos crentes não cheguem a êsse estado, todavia, nem sempre nossos Lares estão como deveriam ser. Andam longe do alvo proposto pelo Nevo Testamento. E por quê? Falta, via de regra, o CULTO DOMÉSTICO.

Mas o que é o CULTO DOMÉSTICO?

É o encontro da família na presença de Deus. Ou no início ou no fim de um dia de lutas, de problemas e dificuldades, os membros da família se encontram na presença do Senhor. E pode haver maior bênção do que essa?

É a PRESENÇA de Deus no lar. Nas atividades religiosas do V. T. havia um altar cuja chama nunca se apagava: Em Levítico 6.13 lemos a seu respeito: “O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apaga­rá”. O culto doméstico é o óleo que alimenta a chama desse fogo.

É ainda a COMUNHÃO familiar. É uma hora doce, de agradável comunhão uns com os outros e com o Todo-Poderoso Senhor. Hora de meditação na Bíblia, de cânticos, de oração, onde confessamos as nossas faltas, e deixamos nas mãos do Senhor nossas tristezas e pesares.

É a EDUCAÇÃO cristã no lar. Os lares modernos fizeram transferência da educação para a escola e da re­ligião para a igreja. Mas a Escola e a Igreja devem estar no lar. Jesus e seus irmãos foram educados no lar aos pés de Maria e José. Timóteo foi educado no lar por sua mãe Eunice e por sua avó Loide. Aprendeu as “sa­gradas letras” que o fizeram sábio para a vida eterna. Estamos nós seguindo esses sublimes exemplos?

PREJUÍZO, GRANDE PREJUÍZO HÁ QUANDO NEGLIGENCIAMOS O CULTO DOMÉSTICO.

Certo pastor contou num de seus sermões que, nu­ma cidade do interior havia uma família que pertencia à sua igreja, exceto alguns rapazes. Os pais, membros da igreja, começaram a se encantar com o mundo, e foram deixando a igreja. O Pastor, encontrando-se com o pai, reclamou a sua ausência e dos filhos na igreja. O pai lhe respondeu secamente: os jovens precisam aproveitar a mocidade e na igreja não há o que aproveitar. O Pastor mostrou-lhe o perigo de se abandonar a Cristo. Separaram-se. Meses mais tarde, o Pastor andava por um caminho e, ao longe, viu alguém que vinha em direção contrária, vestido de preto. Caminharam, caminharam, se encontraram. Cumprimentaram-se. O homem de preto começou a chorar. O Pastor perguntou-lhe: que foi, amigo? Meus filhos, há quinze dias mais ou menos, num domingo, tomavam banho no rio de nessa cidade e um deles pereceu afogado. Afogado num domingo. Isso aconteceu porque o pai abandonara a Cristo. Se ele esti­vesse na igreja com sua família nesse dia que é o dia do Senhor, tal não teria acontecido. E quantos lares cristãos, ou chamados cristãos acham-se hoje acéfalos por falta de fundamento da prática da Bíblia- da vida cristã, da educação religiosa no lar pelo culto doméstico?

O CULTO DOMÉSTICO É UMA INFLUÊNCIA POSITIVA

Na Inglaterra havia uma família cristã, realmente cristã que praticava o culto doméstico diariamente. Como o chefe trabalhava e só chegava em casa às oito horas da noite, só podia fazer o culto às nove da noite. Liam a Bíblia, meditavam nela, cantavam, oravam e finalmente o chefe da família orava e pedia a Deus por todos os filhos, chamando-os nominalmente. Os filhos cresceram nessa atmosfera espiritual. O mais velho deles desejou sair daquela cidade, portanto da casa de seus pais. Foi para uma cidade maior. Longe de casa, cercado de ami­gos de influência diferente, o jovem começou a facilitar com o mundo. Foi convidado para uma festa onde haveria bebidas e outras partes pouco recomendáveis a um crente. O moço sentou-se à mesa. Trouxeram-lhe o copo de bebida alcoólica. Todos tomavam, e ele ia tomar também. O relógio começou a badalar: uma, duas, três, quatro, cinco, seis, sete, oito e nove horas. O jovem se­gurava o copo de bebida e ainda não o havia tomado. Ao soar nove horas, lembrou-se: nesta hora meu pai ora por mim; não beberei. Não bebeu e retirou-se imediata­mente daquele recinto perigoso. A orientação espiritual recebia no lar deu-lhe forças para vencer a tentação que lhe apareceu fora do lar.

Um lar onde há o culto doméstico é um lar que deixa saudades. Lembremo-nos que atrás da vida prodi­giosa e abençoada de Moisés e de Samuel estavam pais prestimosos, pais que viviam piedosamente, que confia­vam em Deus e orientavam os filhos no caminho do Senhor. E assim o foi na vida dos maiores servos de Deus em todos os tempos.

Dirijo-me agora aos casais: estais reunindo a família para o culto doméstico? Se não tendes feito, hoje mes­mo deveis começá-lo. Por certo o diabo procurará emba­raçá-lo com mil dificuldades; não desanimeis; persisti e Deus vos dará a vitória. Mantenham acesa a lâmpada da comunhão familiar na presença do Senhor com o culto doméstico em todos os 365 dias do ano.

———————

FONTE: LIVRO “PASSANDO POR JERICÓ” – ENEAS TOGNINI – 1965.

    Imprimir       Email
  • Publicado: 3 semanas atrás em 13 de abril de 2021
  • Por:
  • Última modificação: abril 13, 2021 @ 2:56 pm
  • Arquivado em: Vida Cristã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *