Carregando...
Você está em:  Home  >  Comentário Bíblico  >  Artigo

Paulo ensinou que Jesus é um anjo (Gl 4.14)?

Por   /  31 de agosto de 2019  /  Sem comentários

    Imprimir       Email

E não rejeitastes, nem desprezastes isso que era uma tentação na minha carne; antes, me recebestes como um anjo de Deus, como Jesus Cristo mesmo. (ARC)

Mas vocês não me desprezaram, nem me rejeitaram, embora o meu estado de saúde fosse uma dura prova para vocês. Pelo contrário, vocês me receberam como se eu fosse um anjo de Deus ou mesmo como se eu fosse Cristo Jesus. (LH)

Embora a minha doença tenha sido uma provação, vocês não me trataram com desprezo ou desdém; ao contrário, receberam-me como se eu fosse um anjo de Deus, como o próprio Cristo Jesus. (NVI)

BREVE EXEGESE TEXTUAL:

Ainda que Paulo também se refira a um “anjo” (ser angelical) nesse texto, não significa que sua intenção foi ensinar que Jesus é um “anjo” (de natureza angelical). A própria palavra “anjo” significa mensageiro, como muitos intérpretes apontam, sendo possível que essa seja a ideia indiretamente enfatizada. Contudo, o apóstolo insiste noutro sentido, a saber, que embora fosse um ser mortal e enfermo, fora recebido qual elevado “mensageiro de Deus”, como se pertencesse ele à ordem angelical. Com a adição de Cristo, Paulo expressa ainda mais enfaticamente o acolhimento surpreendentemente favorável que ele experimentara entre os Gálatas, como se ele fosse o próprio Cristo. Parafraseando, o verso expressa o seguinte: “me recebestes como um anjo de Deus (ou ainda mais!) como o próprio Cristo Jesus”. Esse verso diz mais sobre a atitude daqueles irmãos do que sobre a natureza de Cristo (Lembre-se de Mateus 10.40: Quando as pessoas nos recebem, estão recebendo o Rei, pois somos seus representantes. O discípulo verdadeiro ocupa a posição de Cristo. Como uma pessoa recebe um agente mostra a sua atitude em relação ao mestre do agente, e para com todos que o agente representa. Em 2 Samuel 10 encontramos um exemplo do que acontece quando alguém maltrata um enviado do Rei). Em fim, é evidente que de um jeito ou de outro, a interpretação ariana deve ser rejeitada.

(Texto enviado pelo Zap e aprovado pela nossa equipe para reprodução)

    Imprimir       Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *